Skip to Content

Viagem ao CERN - Sala de Controle do ALICE

Como eu havia falado em uma postagem anterior, o monitoramento dos detectores e tomada de dados do ALICE são feitos na sala de controle, a função que desempenho neste fim de ano é o de "DCS" (Detector Control System), que é coberto por três turnos de 8 horas por dia, uma vez que o experimento deve estar operacional 24 horas por dia em todos os dias do ano (com exeções para eventuais paradas técnicas).

 
Algumas funções do DCS Shifter são:
 
- Monitorar erros e alarmes dos detectores e tomar ações, incluindo, se necessário, entrar em contato com o expert responsável;
- Liberar acesso lógico ao software dos detectores aos experts;
- Procedimentos de Handshake do LHC, por exemplo quando este informa que irá iniciar o feixe;
 
ALICE Center
 
Durante minha estadia no CERN o LHC interrompeu o feixe de próton-próton, que será retomado apenas em 2015 após uma longa parada técnica para manutenção e aperfeiçoamento. Em Janeiro de 2013 terá início um período muito interessante para o ALICE que é a de colisão próton-chumbo, que será feita pela primeira vez.
 
Para que algo que ainda não foi feito tenha sucesso é necessário preparação, sendo assim o ALICE entra em fase de "Technical Runs" entre os fim de Dezembro e começo de Março, quando se iniciarão as colisões de próton-chumbo.
 
Pude conversar um pouco sobre isso com Ken Oyama (Run Coordinator) e Chilo Garabatos Cuadrado (um dos responsáveis pelo TPC), estes falavam do sentido de manter o ALICE funcionando durante o tempo de parada do LHC, a experiência ao longo do tempo com equipamentos de eletrônica sensível como os desse experimento tendem a apresentar falhas após longas paradas, que só são descobertas quando se mais precisa que funcionem, assim esse período de technical runs nos dará tempo de encontrar e solucionar eventuais problemas e teremos então a máquina funcionando bem quando for a hora certa.
 
ALICE - Inside
 
Foi uma experiência muito interessante participar como DCS Shifter, hoje os vários detectores do ALICE são muito mais familiares, o que com certeza será importante durante minha análise e, de forma mais geral, para minha formação científica.